De New York, a jornalista Izabel Aarão…

Izabel Aarao

Izabel Aarão

O jeito é carregar sempre uma sombrinha dento da bolsa. Como chove nessa época do ano por aqui.

Quando esse tempo vai firmar? Se os dias são ensolarados a opção aproveite e quando eles chegam ameaçam com aquela falta de ventinho Sul de Vitória, lá no Espírito Santo. Coisas do Brasil, já diz a música.

Por aqui a moda é vestidão. Eles reinam. Já podem ser encontrados nas vitrines de Manhattan. Multicoloridos, lindos. E totalmente aprovados. Companhia perfeita, um chinelinho sem qualquer compromisso, ou ainda mais verde-amarelo, uma sandália Havaiana. Está completa a dupla? Ainda não. Aproveite para abusar com colares coloridos, longos, curtos, faça a sua moda. Os estilos e multiplicam.

Sempre que vejo um vestido longo, bem verão, me vem à cabeça a personagem de Vera Fischer na novela da Rede Globo, Caminho das Índias. Kiara esbanja uma coleção de vestidos longos, coloridos, que ficam perfeitos com colares também multicoloridos, um luxo. E como a Vera está bem magra, dá uma sensação de que é também bastante alta.

Nas vitrines e nas ruas de Nova York são encontrados longetes tomara-que-caia, frente-única, com lástex ( quem nunca usou esse?), com alçinhas finas, mas tão delicadas que quase desaparecem sobre os ombros e insistem em brigar com os sutiãs. Tem o look neo-hippie, alguns florais, outros em apenas um tom. Se usar preto, abuse com acessórios coloridos. É uma delícia essa temporada de Verão novaiorquina.

O que mais me deixa apaixonada nessa cidade é poder vestir o que quiser, sem se importar com que os outros vão dizer. Ser anônima é muito bom. Colocar um vestidão e esperar a sessão ao ar livre de cinema no Bryant Park é uma opção e tanto. Ou esticar no fim de tarde pelos piers. Sempre tem algo de bom no 54.

Não dá para ficar em casa quando o calor vai chegando, inspirando e sugerindo vida fora dos espaços interiores. Vestidos longos são sinônimo de conforto e despojamento. Dá pra bater perna a tarde toda e descansar em um dos charmosos cafés da cidade, que nessa época do ano são um convite ao relaxamento. O dia fica grande, com o sol resistindo até 8 da noite.