Carta do Embaixador Sérgio Arruda sobre o People From Brazil

Prezada Margô,

Acabo de visitar o seu site em construção e não posso deixar de compartilhar com você meus sentimentos contraditórios diante do que li, e que já deixa entrever o potencial jornalístico da sua proposta.

É que, de um lado, fiquei muito orgulhoso – na condição de cidadão brasileiro e também Cônsul Geral em Roterdã – pela incorporação à mídia eletrônica tupiniquim nos Países Baixos, que é a nossa jurisdidição, de um novo órgão com a alta qualidade do seu. Estou seguro de que a abordagem temática, seletiva e substantiva, dessa amostragem inicial, assim como a fluência dos textos – aliando o frescor da sensibilidade da redatora ao rigor e à elegância na forma – hão de assegurar ao recém-chegado veículo, em pouco tempo mais, um nicho representativo no tempo dedicado pelos milhares de internautas brasileiros, caboverdianos, angolanos, moçambicanos, guineenses, portugueses e timorenses espalhados por essa grande diáspora do mundo global ao exercício cotidiano de se manterem em sintonia fina, por todos os canais disponíveis, com a alma e o coração da nossa cultura comum e da bela língua que a expressa.

Essa foi, aliás, uma das mais veementes revindicações recolhidas no documento final da I Conferência das Comunidades Brasleiras no Exterior, iniciativa do Ministério das Relações Exteriores q reuniu no Rio de Janeiro, em 18 e 19 de julho corrente, 300 representantes dos 3 milhões de co-cidadãos vivendo fora do país. Aberto pelo Ministro Celso Amorim, em sessão cuja mesa reuniu altos representantes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, o evento estabeleceu, de forma pioneira e transparente, o diálogo institucional – a ser doravante mantido permanentemente – entre a diáspora e o Estado brasileiros, com vistas à aprovação e/ou aperfeiçoamento de políticas públicas que melhor atendam aos legítimos interesses de tão expressiva, e por que não dizer sofrida, parcela de nossa gente. O Pastor Marcos Elísio Viana (da Comunidade Cristã de Amsterdã), a nossa comum amiga Márcia Curvo (pelo www.brasileirosnaholanda.com) e o seu colega mediático Joãozinho Brasil (diretor da interessante rádio Pulsa Brasil, de Amsterdã) estiveram presentes à Conferência e tiveram participação nos intensos debates travados, podendo assim transmitir-lhe oportunamente sua percepção do significado do encontro e dos seus desdobramentos imediatos.

Em tais circunstâncias, você há de entender porque, por outro lado, sinto igualmente uma certa tristeza por ter de me afastar, dentro de algumas semanas, das funções exercidas ao longo dos dois últimos anos à frente do Consulado-Geral em Roterdã (apesar de partir com o entusiasmo de sempre diante dos próximos desafios profissionais, desta vez como Embaixador do Brasil na Malásia, cuja língua acolheu de resto, em milhares de palavras do seu vocabulário, a sonoridade da lusofonia, herdada dos portugueses que ali estiveram por quase 140 anos, nos séculos XVI e XVII).

Resta-me, porém, o consolo de que esse afastamento é amplamente compensado pela chegada de novos brasileiros imbuídos, como você e tantos outros, do mesmo compromisso com a preservação das nossas raízes. Enriquece-se, pois, ainda mais essa brava comunidade que, sem perder a sua singularíssima identidade, sinaliza pela sua alegria de viver e explosão de criatividade artística o caminho da aceitação do outro – e, por via de conseqüência, da incorporação de uma pluralidade de códigos culturais – como a única rota generosa e solidária a ser seguida por um continente que, de Bruxelas, propõe por ora apenas o atalho íngreme, áspero e sem futuro da Diretiva de Retorno.

Perdoe ter-me alongado bem além do q deveria e aceite meus sinceros parabéns, com votos de longa vida e muito êxito para o seu www.peoplefrombrazil.com. Geo e eu o levaremos conosco para os confins da Ásia, à maneira do Mestre Drummond, como um belo e nostálgico retrato digital do Pindorama natal, a contemplar/acessar amiúde de Kuala Lumpur a partir de outubro vindouro.

Sérgio Arruda