A “Revolutie” de Anderson Farah!

De um imenso galpão abandonado na cidade de Alkmaar na Holanda, o brasileiro, ator e artista plástico Anderson Farah o transformou em teatro que comporta até 400 pessoas. Estive lá no último domingo (21/06) e assisti a uma produção ousada, com aproximadamente 100 atores em cena, figurantes e técnica; cavalos, guiados por cavaleiros, faziam parte do espetáculo entrando e saindo do enorme picadeiro onde acontecia a apresentação. O palco nos remetia a feira, mercado com várias banquinhas e pessoas vendendo frutas, peixes, produtos etc…

Teatro lotado e no palco, a peça “Revolutie”! Anderson Farah faz no espetáculo, (*)Filipe Camarão-, o índio Poti. Ele sozinho já faz uma “revolução” ao escrever o roteiro sobre uma parte da história do Brasil com os holandeses. É dele também a direção, cenário, figurinos, produção, iluminação…um lindo homem de múltiplos talentos e criatividade.

Em cena, entre outros, a bela brasileira Jaqueline Menezes que faz Anna Paes, uma senhora de engenho, que se apaixona pelo nobre holandês Gijsbert de With, interpretado pelo famoso ator, também holandês Ferri Somogyi.

A peça conta parte da história que aconteceu no Brasil em 1645 com Maurício de Nassau/Companhia das Índias no nordeste brasileiro.

Anderson Farah, constrói em sua direção de atores e arte, um movimento de luz e enquadramento, quando equilibra e forma, com figurantes e atores e constrói obras de arte, inspiradas em Rembrandt. Enquanto uma cena acontece à direita, centro ou esquerda, existe em outro canto, a harmonia de uma pintura. Os personagens se locomovem e formam enquadramentos que encontramos nos quadros do mestre holandês Rembrandt.

Uma produção imensa que envolveu voluntários da comunidade de Alkmaar que construíram junto com Anderson Farah o sonho que se tornou realidade, juntando os saberes e práticas em um objetivo comum que, através do teatro, criam situações de ensino e aprendizagem, na qual a descoberta e a construção de conhecimentos estejam presentes.

Mais fotos do espetáculo!